Postagens

Quais as diferenças entre os graus de queimadura?

Imagem
“Uma queimadura solar é de primeiro ou segundo grau”? “Queimei a mão na panela e levantou bolha: é uma queimadura de primeiro grau”? Antes de tudo, precisamos dizer que é sempre importante correr para o médico em caso de acidentes com queimaduras. Mas é sempre bom já estar atento aos diagnósticos de cada tipo de queimadura. Quem nunca sofreu uma? Mesmo que seja leve e pequena, sabemos que esse tipo de problema é doloroso.  O que muita gente não sabe é que as queimaduras nem sempre são térmicas (causadas pelo fogo). Elas também podem acontecer por químicos, componentes elétricos, radiação, frio e até por fricção. Mesmo com causas diferentes, a classificação das queimaduras é a mesma e varia conforme a gravidade e profundidade do ferimento: - Primeiro grau: são queimaduras causadas na superfície da pele. São as menos problemáticas, causando apenas irritação e vermelhidão na pele. - Segundo grau: atinge a camada de plasma sanguíneo, causando, além da dor e vermelhidão, bolhas. - Terceiro grau

Placas de saída de emergência: importantes ou não?

Imagem
Quando falamos de segurança no trabalho, imediatamente vem à nossa mente os equipamentos de proteção individual (EPIs). Mas garantir a segurança vai muito além. Há uma série de medidas necessárias no ambiente para que ele contribua, juntamente com os EPIs, para manter todos seguros.
Um exemplo disso são as placas e símbolos de sinalização. Elas facilitam a organização no ambiente de trabalho, indicando normas e sinalizando possíveis perigos, além de orientar em casos de emergência. A indicação de saídas de emergência e de escadas é uma das sinalizações mais importantes e cobradas em qualquer estrutura.
Placas de saída de emergência Essas placas facilitam o escoamento de pessoas em situações de emergência e de tensão, como em incêndios, por exemplo. Normalmente é composta pelo desenho de uma pessoa saindo por uma porta e uma flecha na direção que deve ser seguida.
Sinalização de segurança para escadas São semelhantes às placas de saída, mas elas apontam e identificam a presença de escadas…

Quais as causas de acidentes mais comuns?

Imagem
Acidentes de trabalho causam lesões corporais que podem, permanentemente ou por um período de tempo, interromper o trabalho.
Em 2016, foram cerca de 578,9 mil casos de acidentes de trabalho registrados, de acordo com Anuário Estatístico do Ministério da Previdência Social (AEPS). São eles:
Quedas: provocados por escorregões e desequilíbrios. Também é um resultado comum em caso de falta de equipamentos de segurança indicados para determinados trabalhos, como em grandes alturas, por exemplo.
Objetos: provocados por queda de objetos que atingem pessoas, ou que cortam, perfuram, pressionam membros do corpo.
Choques elétricos: provocados pela falta de manutenção de sistemas elétricos e uso inadequado ou ausência de equipamentos no manuseio do estruturas eletrizadas.
Lesões: provocados por movimentos repetitivos, como é o caso da LER.
Queimaduras: provocados por combustão de materiais inflamáveis e agentes químicos. 

Escolha os materiais para reformar/construir com cuidado

Imagem
Os materiais que você usa para reformar/construir sua casa podem ajudar a provocar ou piorar incêndios? SIM! É comum o uso de materiais combustíveis durante a construção. Eles podem estar presentes em acabamentos e, até mesmo, no mobiliário e na decoração.
Na ocorrência de um incêndio, esses materiais liberam substâncias tóxicas e asfixiantes, e podem ser combustível para o aumento do incêndio. Quando não for possível evitar esses materiais, é importante ter o conhecimento de como eles se comportam quando submetidos ao fogo, para traçar a melhor estratégia de contenção e fuga em caso de emergência.
Os profissionais que você contratou para a obra (engenheiro e/ou arquiteto), devem ter capacitação e conhecimento na área de segurança contra incêndios e, assim, recomendar os melhores materiais para a segurança da sua obra. ;)

4 siglas importantes na segurança do trabalho

Imagem
A segurança no trabalho tem se aperfeiçoado ao longo dos anos e, felizmente, as empresas tem reconhecido a sua importância e cada vez mais aplicado dentro das organizações. Para garantir que sejam a aplicação e que funcionem, há uma série de regras e siglas que recheiam as Normas Regulamentadoras. Hoje trouxemos para você 4 siglas importantes para ficar ainda mais por dentro das normas de segurança do trabalho. CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) Foi criada pelo ex-presidente Getúlio Vargas e uma das mais conhecidas. A CLT tem o objetivo de regulamentar as atividades remuneradas e a relação do empregador com o empregado. CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes) A Comissão foi estabelecida em 1944 e com a intenção de verificar e informar situações de risco nos ambientes de trabalho. A comissão é constituída por representantes dos empregados e dos empregadores, que além de exercer a função para qual foram contratados pela empresa, vão atuar para prezar pela saúde e bem-estar i…

O que faz um ambiente ser perigoso?

Imagem
Muito é falado de periculosidade e insalubridade. Mas o que é realmente um ambiente perigoso e o que o torna assim? Quando falamos de segurança no trabalho estamos nos referindo a manter o trabalhador apto para exercer sua função com saúde e segurança. Para isso é que o Ministério do Trabalho criou as Normas Regulamentadoras, que orientam e direcionam as empresas. O problema é que nem todas as empresas estãos dispostas a investir na segurança e orientação do seu pessoal. Isso gera a chamada Condição Insegura, pois o trabalhador fica exposto ao perigo, seja por falhas, defeitos ou irregularidades. Existem algumas características que transformam um ambiente ou uma função em perigosa para o trabalhador. Listamos as principais características encontradas em variados locais: - Acesso perigoso (nas alturas como acontece na construção civil, ou quem trabalha no subsolo, por exemplo); - Excesso de ruído (como no trabalho com britadeiras); - Falta de higienização; - Instalações elétricas indevidas…

Cuidados especiais com splinklers

Imagem
Na hora da emergência, é muito importante que seus equipamentos de segurança estejam em dia e prontos para serem utilizados! Esse é o caso dos splinklers, produtos utilizados em caso de incêndios. Por isso, hoje vamos dar algumas dicas para garantir o bom funcionamento desse equipamento! Entre os problemas mais comuns que os splinklers podem ter, estão a obstrução, corrosão e formação de gelo (quando o clima é muito frio). Por conta disso, a inspeção dos equipamentos deve ser periódica, o recomendado é de cinco em cinco anos, e o técnico deverá avaliar os seguintes problemas: - Sinais de danos - Sinais de vazamentos - Falta de equipamentos - Possíveis obstruções Além disso, deverá conferir: - Filtros de linha - Orifícios de restrição - Gaxetas - Integridade das peças Caso encontre algum problema, é preciso fazer com urgência a correção do dano e/ou substituição do equipamento (e nesse caso, conte com a Zimmex!).